quinta-feira, 4 de junho de 2015

Receita -Cottage caseiro!

Hello Dears!

Como estão?

Hoje vim compartilhar com vocês o que aprendi nas internets. (algumas podem até já conhecer, mas quem não conhece, agora conhecerá)

O queijo cottage!
Que você pode fazer em casa, a hora que quiser, assim, rapidinho!

O que vamos precisar?

2 litros de leite integral ou desnatado (o meu é integral)
100ml de vinagre branco
1/2 colher de sopa de sal

Modo de preparo:
Coloque o sal no leite, e deixe esquentar um pouco. Adicione o vinagre, e mexa levemente. Espere levantar fervura e desligue.  Deixe parado. Você vai notar o soro se soltando da massa do leite.
Depois de esfriar um pouco, passe para uma peneira, e deixe uns 15 minutos escorrendo.
E prontinho! Você já tem o seu queijo cottage. Facinho e rapidinho ;)

Rende cerca de 500gr mais ou menos 





Já fiz com orégano, e fica muito bom também. Pode acrescentar suco de meio limão, dá um gostinho especial 

É isso por hoje. Espero que tenham curtido =)

Beijos e até a próxima!

domingo, 24 de maio de 2015

Receita -Pão de queijo de frigideira

Hello Dears!

Vi por aí nas internets essa receitinha, testei e aprovei!

Além de dar uma saciedade incrível, a tapioca ou a goma de tapioca, tem baixo índice glicêmico, é rica em potássio, ferro, cálcio e outros minerais. Não contém sódio nem gordura. Tem cerca de 70 calorias em 2 colheres de sopa de tapioca.

Mas a receita de hoje contém em média 263kcal

1 ovo= 68kcal
3 colheres de sopa de tapioca= 105kcal
2 colheres de requeijão light= 90kcal

Modo de preparo:
Misture tudo e coloque numa frigideira antiaderente, doure os dois lados e sirva com ou sem recheio.

OBS: A minha tem 1 colher de sopa de requeijão como recheio. Se você encontrar um requeijão com menor quantidade de calorias, o valor calórico da preparação diminui. Ou ainda se preferir comer sem recheio também é deliciosa.

A receita dá quatro fatias dessa da foto

É isso por hoje
Espero que tenham curtido

Beijos e até a próxima =) 


quarta-feira, 20 de maio de 2015

Alimentação saudável X Dietas Restritivas

Hello Dears!

Hoje quero falar sobre como lidamos com a alimentação.

Alimentação saudável X Dietas restritivas

Quando você segue restrições, de qualquer tipo. Você não aprende a  mudar seu relacionamento com a alimentação. E nunca se cura das compulsões.
Automaticamente associa comer com sofrimento. E terá recaídas graves muito mais facilmente.

Quando você aprende a se alimentar de forma mais saudável. Comer deixa de ser aquele tormento. Você pode comer o que gosta, e fazer escolhas  inteligentes. Aprende a lidar com emoção e o ato de comer.

Para emagrecer você não precisa de restrições , cortar grupos de alimentos, evitar carboidrato por exemplo... nada dessas coisas.
Apenas comer melhor. E comer todos os grupos de alimentos. Nosso corpo necessita de todos os nutrientes.

Quer ser magra ou saudável?


Aqui temos a pirâmide dos alimentos. 
O número de porções recomendadas por dia

E aí? Como está a sua alimentação?



Qualquer dúvida, deixe nos comentários :)

Beijos e até a próxima

sábado, 16 de maio de 2015

Consciência Nutricional- Palavra de Profissional

Hello dears!

Hoje venho trazer um texto que faz a gente pensar, sobre essas dietas da moda que tanto falam por aí. E o pior é que vendem, e vendem bem!

Esse texto foi escrito pela minha Professora Sandra Oliveira, profissional da qual eu terei eterna admiração.
Leiam na íntegra;

Vivemos um tempo em que a busca pelo corpo perfeito é um objetivo. Mas qual o preço se deve pagar por essa busca?  O terrorismo nutricional se instalou e ganhou credibilidade, pois são veiculados pela mídia como verdade absoluta.
Diga-me, porque alimentos ou nutrientes consumidos desde sempre, como a lactose e glúten, passaram a ser vilões? Onde está o resultado do emagrecimento creditado ao óleo de coco, ou a frutinha poderosa goji berry? Fórmulas milagrosas não existem!
As dietas da moda vendem um emagrecimento rápido, o que pode verdadeiramente acontecer, mas sua eficácia é duvidosa, pois a probabilidade de ocorrer o efeito rebote é alto e o preço também será alto,ou seja, sua saúde.
A meu ver o termo “dieta” pressupõe sacrifício, restrição e soa como algo negativo, prefiro chamar de plano alimentar, ou melhor, reeducação alimentar.Aprender que é possível perder peso de forma saudável sem passar fome, sem a proibição de determinados alimentos, entendendo que o equilíbrio entre quantidade e qualidade é o coerente e o mais seguro em se tratando de saúde e qualidade de vida. Fácil? Não. Comer é gostoso, faz parte do convívio social.
Quando estiver lendo as próximas palavras não pense, apenas fale o que vem a sua mente. O que você associa com as seguintes palavras: Aniversário…Natal…Páscoa.
Provavelmente tenha pensado: Bolo,brigadeiro, peru e chocolate não foi? Estes eventos estão ligados a nossa vida e por vezes o aroma de um alimento nos remete a lembranças importantes sejam elas boas ou ruins considerando que temos sim uma memória olfativa e por isso, a mudança do comportamento alimentar requer determinação, paciência, consciência e foco.
Qual seria o grande objetivo com o emagrecimento? Talvez estético, ou talvez seja por conta da preservação da saúde por recomendação conjunta do médico e nutricionista, mas nem sempre saúde representa corpos torneados e barriga tanquinho, não podemos confundir.
Saúde significa “o estado de normalidade de funcionamento do organismo humano”. Este é o objetivo.
 Link da postagem original: http://abcfox.org/consciencia-nutricional/

É o que sempre penso, dietas disso ou daquilo, até mesmo prescritas por nutricionistas, são para vender revistas, render cliques em sites,vender livros e etc
Um profissional a meu ver, sério, indica sempre a reeducação alimentar. 

Beijos e até a próxima! =) 

terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Você ainda quer fazer a Dukan, Atkins, dieta da proteína? Vem ler!

Acho que fui muito breve na postagem anterior.
Teve gente dizendo que faz e ama, e é só beber água para que não haja sobrecarga nos rins.
Teve gente dizendo que, não acredita que faça mal, e que o corpo não tira só do carboidrato as energias... 
Só explicando, não disse que é só do carboidrato, disse que é a principal fonte ;) 


Para a primeira questão:
Não, não é só beber água e PLIN tá tudo resolvido.
O que sobrecarrega os rins não é falta de água, nesse caso, e sim o que terá que passar por dentro dos rins após adotar essa dieta. 
Simmmmmmm!!! Tudo que colocamos dentro do nosso corpo, passa por eles, ora vejam só! E você aí achando que passava só pelo estômago e intestinos? Ah e pela boca! 

"O consumo excessivo e quase que exclusivo de proteínas aumenta o risco de doenças renais, principalmente a formação de pedras nos rins. Lesão renal aguda pelo excesso de proteínas também é uma preocupação." 

 "A acidose gerada pelos corpos cetônicos faz com que o rim tenha de trabalhar mais para impedir que o sangue torne-se muito ácido. Isso significa eliminar na urina grandes quantidades de ácido, que costumam ir junto de sódio e água. Portanto, o paciente desidrata nos primeiros dias de dieta. Por isso, indica-se o consumo de pelo menos 1,5 litros de água por dia nas fases iniciais."

Agora sobre a segunda questão:
Vou até ilustrar para não ficar dúvidas.


 "A principal fonte de energia para as nossas células é a glicose e sua principal origem são os carboidratos. Quando o paciente assume uma dieta sem carboidratos, o organismo precisa lançar mãos de alguns mecanismos para obter a energia que tanto necessita. O modo mais simples é através da queima dos estoques de gordura, fazendo com que o organismo produza corpos cetônicos, substâncias ácidas originadas da quebra da gordura em ácido graxo, que são utilizados como fonte energética alternativa á glicose.
A dieta Dukan é, portanto, uma dieta cetogênica, e boa parte dos seus efeitos colaterais vêm deste estado de cetose."
A cetose tão sonhada.. não é mesmo?
As ilustrações, tiradas da minha apostila, do curso de Técnico em Nutrição e Dietética, na Universidade Cruzeiro do Sul, Campos Analia Franco. Professora e Nutricionista, Viviane Ferri Ross Perucha. Portanto, não fui eu que tirei da minha cabeça, a literatura diz. 

Portanto, sim, a literatura diz que a principal fonte de energia do nosso corpo é o carboidrato.
Observem que a quantidade recomendada é de 55% a 75% do valor energético total. 

Em contrapartida...
A função das proteínas...

E olha a diferença da quantidade recomendada, de 10 a 15% do valor energético total.

Viram a diferença?
Você necessita de 10% a 15% e oferece ao organismo, 100%! 
Como isso pode ser normal?
Como isso não vai ser prejudicial?
Como isso não vai sobrecarregar os rins, e trazer malefícios ao seu corpo?

Mais algumas informações que acredito ser relevantes:


"A dieta Dukan, criada pelo médico francês Pierre Dukan, ganhou muita notoriedade nos últimos anos, depois que celebridades, como Jennifer Lopez, Giselle Bundchen, Penelope Cruz e Kate Middleton, tornaram público que eram adeptas da dieta.
Porém, da mesma forma que a fama rendeu milhões de dólares ao seu autor e tornou a dieta Dukan uma das mais famosas do mundo, houve também uma enxurrada de críticas de várias sociedades médicas e de nutrição, principalmente da British Dietetic Association, que desde 2010 contra-indica o seu uso e classifica a dieta Dukan entre as 5 piores “dietas dos famosos”. O auge dos ataques ocorreu em Janeiro de 2014 quando a Ordem dos Médicos da França cassou a licença médica do Dr. Pierre Dukan sob a alegação de quebra do código de ética, devido à excessiva promoção comercial dos seus produtos."
"A dieta Dukan, apesar de sua roupagem moderna, é, na verdade, uma releitura da também famosa dieta do Dr. Atkins, muito popular nas décadas de 1970 e 1980."

Veredito sobre dietas que restringem carboidratos:

"Por tudo o que foi explicado neste artigo, as sociedades médicas e de nutrição não consideram a dieta Dukan uma opção aceitável para perder peso. O efeito a longo prazo é pobre, o paciente varia muito de peso ao longo da dieta (efeito sanfona), há graves restrições nutricionais e os efeitos colaterais podem ser graves.
Entre eles o que não foi citado acima, o aumento do colesterol ruim. Proteína animal traz também colesterol, sempre! Não se esqueçam amiguinhas"

Acredito que depois dessas explicações, junto a postagem anterior, me fiz mais clara.
Espero que tenha sido de alguma importância para vocês.
Pesquisem!
Ler mais
Beijos e até a próxima =) 

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Dieta Atkins, Dukan, Proteína...



Não importa qual nome ela tem, a base é a mesma: Cortar carboidratos e comer só proteína.

Quem fuçou o blog, ou me acompanha há anos, sabe que tentei fazer essa maluquice há 3 anos atrás. E foi um desastre! Tem relatos registrados aqui rs

Hoje tive uma aula maravilhosa, com a minha maravilhosa professora Sandra Oliveira. E nessa aula uma aluna perguntou: Porque tem nutricionista que receita essa dieta dukan?
Ela disse que o nutricionista pode prescrever a dieta que quiser. E essa dieta faz perder peso? Sim, faz. Mas a que preço?

A QUE PREÇO?

Tai uma coisa que quem está no desespero para perder uns quilos, não está muito preocupado. E o preço a ser pago, é com a sua própria SAÚDE.

Não será agora de imediato, e por isso as pessoas sempre acham que com elas não vai acontecer... mas e se...
O que seria a longo prazo: Sobrecarga nos rins! Ninguém quer ficar magra (o) e ser um paciente renal, não é?
Proteína em excesso sobrecarrega os rins, e é um perigo!
Carboidrato é a principal fonte de energia do nosso cérebro, e a falta dele, causa danos, como falta de concentração, cansaço, fadiga...

Fora isso, tem os corpos cetônicos.
Quanto maior a quantidade de cetose produzida, maior será a formação de RADICAIS LIVRES, principais causadores de envelhecimento e de doenças oxidativas, como o câncer.
Essa dieta faz o metabolismo mudar totalmente, e passar a utilizar proteína como principal fonte de energia. Coisa incomum para ele, que foi feito para tirar energia dos carboidratos (glicose)
E dessa mudança geram os corpos cetônicos, que são produzidos da oxidação de lipídeos.
E essa cetose deixa o sangue mais ácido, causando um desequilibrio no organismo, e podendo até mesmo levar a morte. Sim, MORTE!

Cetose, é uma reação  normal no organismo, quando o indivíduo fica em jejum prolongado, até aí tudo bem, mas, fazer o organismo se manter em cetose, mesmo se alimentando? Não vejo muita lógica nisso.

E o porque dos nutricionistas prescreverem essa dieta?
Simples. MONEY!
Quando a pessoa quer perder peso a todo custo, e a nutricionista ganhar dinheiro a todo custo, bingo!

Agora você já sabe os contras dessa dieta, e fica por sua conta e risco.
Vale mesmo a pena por sua saúde em risco, para perder peso de forma rápida? E lembrando: Não duradoura e nem 100% eficaz...
Pensem com carinho, e pesquisem!

Até a próxima!



terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Os 10 FAST FOODS que revolucionaram o mundo!

Hello dears!

Eu já cuidei melhor desse blog! :(
É eu sei, eu sei...

Preguiça, falta de tempo, falta de assunto... tudo junto!

Mas ontem conversando com amigas, chegamos no papo de FAST FOOD,  e eu como chata estudante de nutrição dei um pitaco: BANANA TAMBÉM É CONSIDERADA FAST FOOD u.u

As reações foram! :O :O :O  What???

E sim, alimentos que proporcionam um fácil transporte para qualquer lugar, matam a fome rápido e é prático, são considerados fast food.

O canal americano History Channel tem um programa muito legal chamado as 101 comidas que mudaram o mundo. E fizeram uma lista interessante sobre os fast foods. 
Nesse caso veremos apenas os dez primeiro da lista. 
Lembrando que é um programa americano e a visão é americana (hehehe) 

Algumas delas nem precisam de explicação. Em outras, os detalhes são do próprio programa, ok?
Divertido pensar nessas comidas, a maioria industrializadas, como revolucionárias. (muitas, aliás, salvaram populações da fome como o cup noodles ou chocolates Hersheys!) 
Vamos lá:
Batata frita 10° lugar – Batata frita: Desde a sua descoberta, o hambúrguer nunca mais foi o mesmo e o consumo do vegetal também não. O consumo triplicou. Mudou hábitos alimentares
9° lugar – Churrasco: essa carne foi, segundo o programa, o que tornou o que somos hoje. Saber cozinhar no fogo nos separou dos outros primatas. Cozinhar a carne facilitou a digestão das proteínas e, consequentemente, deixou o ser humano com mais energia.
8° lugar – Charque: segundo o programa, essa forma de fazer a carne vermelha deu energia o suficiente para os homens que deixavam suas terras para explorar o mundo.Pizza estilizada
7° lugar – Pizza: um dos primeiros pratos étnicos a ser consumido pelo mundo. Foi levada para a América no século 19 por um italiano. Até então, a comida consumida era regional, bem local. Hoje, come-se pizza no mundo inteiro. Um dado curioso; Segundo o programa, os rebeldes líbios consumiam pizza durante a primavera árabe Líbia até a queda de Muamar Kadafi.
6° lugar – Mel: Esse alimento não-processado entrou na lista porque, segundo o programa, mudou o mundo não apenas pelo seu poder doce, mas também por suas virtudes medicinais. Foi usado como pomada cicatrizando de ferimentos em soldados, em várias guerras do século passado. Recentemente, voltou a ser usado com o mesmo propósito na Nova Zelândia.Mel
5° lugar – Frango frito: Segundo o programa, era comida de escravos do sul dos EUA, que conquistou o mundo pelo sabor. E também é um ícone do imperialismo norte-americano.
4° lugar – Picles:  Sim, isso mesmo. Levado para a América pelo conquistador Américo Vespúcio para combater o escorbuto, doença que afetava duramente os trabalhadores dos navios levando-os à morte, conquistou os americanos pelo seu sabor adocicado e ácido. (Eu adoro picles, principalmente o de pepino e cenoura)
3° lugar – Banana:  a fruta é prática e conquistou os americanos justamente por isso, sua praticidade. E, segundo o programa, também ajudou os americanos a derrubar um ditador na Guatemala, um dos maiores plantadores da fruta no mundo.
2° lugar – Hot Dog: (Of course! Prático e barato e muito americano. Um dos símbolos do imperialismo norte-americano).
1° lugar – Hambúrguer, claro!: são vendidos 15 desses sanduíches por segundo no mundo. Segundo o programa, é carne democrática, para todo mundo. Está ao alcance de todo mundo. Conquistou o mundo porque é simples, prática, rápida e gostosa.  (Vamos combinar, é gostoso!) 

Surpresas?
E tem muitos outros item na lista.
Beijocas e até a próxima :* 

quinta-feira, 29 de maio de 2014

Informação de qualidade por quem entende do assunto

Hello dears!

Como estão?
Hoje vim dividir com vocês, informações preciosas. 
A 1ª Edição da revista digital, elaborada pela clínica de Nutrição da Universidade Cruzeiro do Sul (onde estudo) pela Aluna de iniciação científica Letícia Neves Bedin com a precisa e valiosa orientação da Profa. Maria Lucia. Que muitos outros números possam veicular tantas informações confiáveis sobre nutrição.
Acessem e compartilhem!

Link~> http://issuu.com/leticiabedin/docs/rev_nutricao_0514__1_?e=11198059%2F8011975

Nesta edição, fala-se sobre: Glúten, Lactose, mitos e verdades sobre alimentação, e sobre o comércio ambulante de alimentos. 


Espero que gostem! 

Beijos e até a próxima ;) 

sábado, 12 de abril de 2014

Bolo de chocolate, brigadeiro e empadinha, pode! Confiram!

Hello dears!

Como sabem, eu adoro inventar na cozinha. 
E hoje trouxe só coisinhas deliciosas, leves, e fáceis de preparar. 

Bolo de chocolate (feito com farinha de aveia e cacau em pó)


1 ovo
1 colher de margarina light
150ml de leite desnatado
2 xicaras de farinha de aveia
2 colheres de cacau em pó
3 colheres de açúcar cristal orgânico
fermento químico

Eu misturei tudo na mão mesmo. 

Empadinha de aveia (recheio presunto e mussarela)

4 colheres de margarina light
1 1/5 xícara de farinha de aveia
1 ovo
25gr de requeijão ralado

Apenas misturar tudo até ficar uma massa que dê para trabalhar. Talvez precisa de mais leite ou margarina.

Brigadeiro de aveia

4 colheres de aveia em flocos
1 colher de café de margarina light
100ml de leite desnatado
1 colher de cacau em pó
1 colher de adoçante culinário

Coloque todos os ingredientes numa panela, misture, e leve ao fogo baixo mexendo até engrossar. Deixe esfriar e enrole. 

E para refrescar o calorão, sorvete de banana!

Congele quantas bananas quiser (meu caso foram 4 nanicas) em rodelas.
Depois bata com um copo de activia de aveia. Pronto! Está feito um sorvete! Delicioso!


É isso por hoje queridas!
Espero que tenham gostado. 
Beijão e até a próxima o/ 

sábado, 5 de abril de 2014

GLÚTEN-Vilão ou Inocente?

Hello dears!

Vendo algumas colegas de R.A que aboliram o glúten de sua alimentação, me surgiu a dúvida: O quanto benéfico seria uma pessoa de saúde normal, abolir essa proteína?

Fui dar uma pesquisada.
E Tudo que encontrei dizia que, ele não faz mal pra quem não é celíaco ou tem intolerância a ele.

E porquê, algumas pessoas atribuem sua silhueta mais fina a retirada do glúten de sua alimentação?

Porque retirando o glúten, retira-se do cardápio massas, pães, pizzas, bolachas e afins. Coisas obviamente calóricas. E passa a comer de forma mais saudável.

Aqui um artigo que encontrei:


Você pode não perceber, mas ele está em todo lugar - pães, bolos, macarrão, bolachas, coxinhas, cerveja, uísque... Pudera: o glúten é a principal proteína dos grãos de trigo, aveia, centeio, cevada e malte. No final de 2008, ele ganhou fama de vilão. Tudo por causa da maior divulgação dos riscos da doença celíaca (veja boxe), inclusive em programas de televisão. Afinal, se o glúten faz mal para um grupo de pessoas, por que não faria para todo mundo? Não faltou quem afirmasse que ele traria danos à saúde, mesmo em pessoas saudáveis. Mais tarde, a proteína foi acusada de provocar obesidade e inchaço no abdômen. A apresentadora Luciana Gimenez foi uma das que garantiram ter afinado a estampa ao se livrar do glúten. E o livro Glúten e Obesidade: A Verdade Que Emagrece, da carioca Regina Racco, virou best seller. "Fiquei 8 semanas sem ingerir os cereais que contêm a proteína e perdi 11 quilos", dizia Racco em trecho do livro.

Especialistas apressaram-se a afirmar: não há nada errado com o glúten. O ingrediente só é mesmo contraindicado para quem tem a doença celíaca. O resto é mito. "O glúten não rouba nutrientes, não atrapalha a digestão e não dificulta a eliminação de toxinas em pessoas saudáveis", diz Flávio Martins Montenegro, pesquisador do Centro de Tecnologia de Cereais e Chocolates do Instituto de Tecnologia de Alimentos (Ital), em Campinas. No caso das pessoas que eliminaram o glúten das refeições e emagreceram, a explicação é simples. "A perda de peso é normal para quem deixa de comer certo grupo de alimentos", diz a nutricionista Miriam Ghorayeb. "É o que acontece se deixamos de comer pães e massas, ricos em carboidratos. A diferença não é o glúten, e sim a mudança na ingestão calórica. Se substituirmos esses alimentos refinados por integrais, também haverá redução de peso - embora eles contenham glúten", diz. 

O que é doença celíaca?
O glúten é um veneno para cerca de 1 milhão de brasileiros. Essas pessoas não possuem a enzima transglutaminase, que quebra o glúten. Ao ser ingerida, a proteína ataca as paredes do intestino delgado, dificultado a absorção de nutrientes e provocando sintomas como abdômen estufado, diarreia, vômito, perda de peso, anemia e osteoporose. A intolerância à proteína costuma ser detectada na infância, mas pode ficar escondida até os 50 anos e causar sérios problemas. Em alguns casos, a doença não tem sintoma nenhum - o que dificulta o diagnóstico. Caso apresente os sintomas, pode valer a pena consultar o médico e fazer os exames adequados, especialmente se houver um celíaco na família: isso aumenta em 10% o risco de desenvolver a doença. "O único tratamento é a total eliminação de alimentos que utilizam trigo, centeio, cevada e aveia na dieta", diz Flávio Martins, do Ital.

Em pessoas saudáveis, o glúten não engorda nem provoca inchaço. O ingrediente só deve mesmo ser evitado por por quem tem doença celíaca.

Onde se esconde o glúten Além de suspeitos óbvios, como pães, bolachas e massas, o glúten também pode ser achado em outros alimentos 

Alguns tópicos interessantes:

Quem deve manter distância do glúten?

Qualquer pessoa com algum tipo de sensibilidade ao glúten deve evitar a proteína, especialmente se sofrer de doença celíaca. O organismo de celíacos reconhece o glúten como uma ameaça. Ao entrar em contato com a proteína, o sistema imunológico desses indivíduos ataca estruturas do intestino, o que prejudica a absorção de nutrientes. Por isso, são proibitivos para celíacos alimentos que contenham ou que tenham entrado em contato com o glúten – uma fatia de queijo que tenha encostado em uma de pão, por exemplo. Além disso, existem pessoas que não sofrem de doença celíaca, mas se tornam intolerantes ao glúten. Nesses casos, o consumo da proteína causa sintomas como diarreia aguda e gases. Embora esse quadro seja menos grave do que a doença celíaca, também exige que o indivíduo diminua ou evite completamente o consumo de alimentos com glúten.

É possível desenvolver intolerância ao glúten na vida adulta?

Segundo Flávio Steinwurz, gastroenterologista do Hospital Albert Einstein, a doença celíaca é geneticamente determinada e costuma se manifestar aos dois anos de idade, quando a criança começa a consumir cereais. A condição também pode aparecer em adultos. Nesses casos, a doença talvez já existisse na infância, mas sem sintomas tão aparentes. Já a intolerância ao glúten em pessoas sem doença celíaca pode surgir a qualquer momento. A causa desse fenômeno ainda é desconhecida.

A dieta sem glúten é benéfica a todos?

Deixar de comer glúten é, definitivamente, essencial para o bem-estar de pessoas com doença celíaca ou outro tipo de intolerância à proteína. Para os demais indivíduos, a medida é desnecessária. Segundo o gastroenterologista Flávio Steinwurz, todas as pessoas livres de intolerância ao glúten conseguem digerir uma fatia de pão perfeitamente. Mas evitar a proteína implica deixar de comer alimentos como massas, pizza e bolachas, que são calóricos e gordurosos, aumentando a chance de uma troca por comidas mais saudáveis. "É possível que a pessoa emagreça, mas não diretamente pela falta de glúten, e sim pela redução do consumo de carboidratos”, diz Vera Sdepanian, gastroenterologista da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

O glúten engorda?

O glúten, em si, não é calórico. Mas, como ele faz parte da composição de uma série de alimentos calóricos – como macarrão, pão, pizza, bolacha e molhos –, é possível que, ao cortar a proteína da dieta, uma pessoa consiga emagrecer. Não fará diferença na balança, é claro, se a substituição for feita por alimentos calóricos.

Alimentos com glúten viciam?

Segundo o gastroenterologista Flávio Steinwurz, o glúten não causa dependência.  "Quando um paciente é diagnosticado com doença celíaca e informado sobre os benefícios de tirar o glúten da dieta, não observamos neles abstinência à proteína. É diferente de tirar o chocolate da alimentação de um chocólatra. O chocolate, sim, vicia, já que estimula a produção de serotonina no organismo (neurotransmissor que pode desencadear sensação de prazer e bem-estar)", diz.

Como uma pessoa sabe se tem intolerância ao glúten?

É preciso atenção aos sintomas e um diagnóstico médico antes de adotar qualquer mudança na alimentação. Os sintomas da doença celíaca aparecem quando a condição já atingiu o intestino e prejudicou a função digestiva. Eles incluem diarreia crônica, inchaço do abdome, anemia, vômitos, enxaqueca, perda de peso e unhas e cabelos quebradiços. O diagnóstico da doença pode ser feito por exame de sangue que analisa anticorpos associados à condição. Se o teste indicar a moléstia, é feita uma biópsia do intestino delgado para confirmá-la. Já a intolerância ao glúten não celíaca é constatada através dos sintomas, principalmente diarreia aguda e inchaço abdominal após a ingestão da proteína.

Fonte:http://veja.abril.com.br/noticia/saude/gluten-e-ruim-para-quem (aqui tem uma matéria completa, e bem interessante) 
********************************************

Se você também aboliu o glúten da sua alimentação, apenas para fim de emagrecimento, deixe o relato da sua experiência nos comentários 
Se foi bom, surtiu efeito. Se não mudou nada, enfim... Nos conte!  =) 

Bem, é isso por hoje!
Beijos e até a próxima o/ 

terça-feira, 1 de abril de 2014

Ranking dos 100 alimentos cheios de sódio

Hello dears!

Vamos dar uma olhadinha no sódio nosso de cada dia?
Ao contrário do que muitos podem pensar, o sódio está presente até nos alimentos doces. Conforme veremos na tabela abaixo.

E olha quem é o campeão!
Aquele que muitas pessoas acham inocente, levezinho... 

Macarrão instantâneo
Alimento
Porção
Quantidade de sódio
1. Macarrão instantâneo de galinha
1 pacote, 85 g
1 951 mg
2. Macarrão instantâneo de carne em copo
1 unidade, 64 g
1 859 mg
3. Lasanha congelada à bolonhesa
1/2 unidade, 325 g
1 734 mg
4. Tempero pronto para arroz
1 col. de chá, 5 g
1 645 mg
5. Macarrão instantâneo de galinha em copo
1 unidade, 64 g
1 642 mg
6. Carne-seca cozida
100 g
1 443 mg
7. Macarrão instantâneo de carne
1 pacote, 85 g
1 389 mg
8. Lasanha congelada de quatro queijos
1/2 unidade, 325 g
1 284 mg
9. Bacalhau refogado
100 g
1 256 mg
10. Caldo de carne
1/2 cubo, 4,5 g
987 mg
11. Caldo de galinha
1/2 cubo, 4,5 g
979 mg
12. Tempero pronto para feijão
1 col. de chá, 5 g
935 mg
13. Mistura para sopa instantânea de cebola
1 col. de sopa, 11 g
899 mg
14. Molho à base de soja
3 col. de chá, 15 ml
855 mg
15. Mistura para sopa instantânea de galinha e macarrão
2 col. de sopa, 19 g
855 mg
16. Misto-frio
1 unidade, 110 g
806 mg
17. Frango à milanesa recheado congelado
1 unidade, 130 g
789 mg
18. Nuggets de frango
5 unidades, 130 g
742 mg
19. Ovinhos de amendoim
3 col. de sopa, 45 g
687 mg
20. Sardinha em conserva
4 unidades, 100 g
666 mg
21. Hambúrguer de carne
1 e 1/2 unidade, 80 g
583 mg
22. Queijo parmesão
1 fatia, 30 g
553 mg
23. Hambúrguer de frango
1 unidade, 80 g
421 mg
24. Bacon
1 fatia, 20 g
384 mg
25. Frango à passarinho congelado
2 e 1/2 unidades, 100 g
324 mg
26. Pão francês
1 unidade, 50 g
320 mg
27. Extrato de tomate pronto
3 col. de sopa, 60 g
316 mg
28. Batata chips ondulada
3 xícaras, 50 g
308 mg
29. Patê de sardela pronto
2 col. de sopa, 40 g
280 mg
30. Torradinhas para canapés
15 unidades, 30 g
268 mg
31. Batata palha
1 xícara, 50 g
262 mg
32. Pepino em conserva
1/4 de xícara, 50 g
255 mg
33. Bolacha de grãos integrais
7 unidades, 30 g
255 mg
34. Bolo de abacaxi pronto
1 fatia, 60 g
242 mg
35. Bisnaguinha
2 e 1/2 unidades, 50 g
239 mg
36. Bolo de chocolate pronto
1 fatia, 60 g
234 mg
37. Pão de fôrma integral
2 fatias, 50 g
234 mg
38. Bolacha salgada de queijo
3 unidades, 25 g
226 mg
39. Bolacha água e sal
7 unidades, 30 g
223 mg
40. Biscoito de polvilho
5 e 1/2 unidades, 15 g
203 mg
41. Tomate seco em conserva
2 col. de sopa, 40 g
200 mg
42. Pão de hot dog
1 unidade, 50 g
197 mg
43. Cereal matinal de chocolate
3/4 de xícara, 30 g
193 mg
44. Pão sírio
1 unidade, 50 g
184 mg
45. Cereal matinal adocicado tradicional
3/4 de xícara, 30 g
176 mg
46. Mistura para bolo de chocolate
3 col. de sopa, 35 g
175 mg
47. Queijo mussarela
1 fatia, 30 g
174 mg
48. Atum em conserva
1 col. de sopa, 45 g
163 mg
49. Bolinho de morango
1 e 1/2 unidade, 60 g
159 mg
50. Pão de fôrma
2 fatias, 50 g
150 mg
51. Molho de salada sabor parmesão
1 col. de sopa, 13 ml
134 mg
52. Leite integral
1 copo, 200 ml
130 mg
53. Leite desnatado
1 copo, 200 ml
130 mg
54. Achocolatado pronto
1 unidade, 200 ml
130 mg
55. Iogurte natural
1 copo, 200 g
128 mg
56. Maionese
1 col. de sopa, 12 g
126 mg
57. Bolacha de leite
6 unidades, 30 g
115 mg
58. Rosquinha de coco
6 unidades, 30 g
110 mg
59. Molho de vinagre balsâmico
1 col. de sopa, 12 ml
110 mg
60. Leite em pó
2 col. de sopa, 26 g
105 mg
61. Amendoim torrado
1 col. de sopa, 15 g
103 mg
62. Rocambole pronto
2 e 1/2 fatias, 60 g
103 mg
63. Queijo ralado
1 col. de sopa, 10 g
100 mg
64. Energético
1 lata, 250 ml
100 mg
65. Bolacha recheada de chocolate
3 unidades, 30 g
100 mg
66. Salgadinho de milho
2 e 1/2 xícaras, 25 g
96 mg
67. Bebida isotônica
1 copo, 200 ml
92 mg
68. Barrinhas de wafer recheadas e cobertas com chocolate branco
4 unidades, 30 g
91 mg
69. Bolacha de maisena
7 unidades, 30 g
89 mg
70. Catchup
1 col. de sopa, 12 g
89 mg
71. Chá de limão em lata
1 lata, 340 ml
86 mg
72. Bolacha doce sem recheio
5 unidades, 30 g
85 mg
73. Ricota
1 fatia, 30 g
85 mg
74. Barrinhas de wafer recheadas e cobertas com chocolate ao leite
4 unidades, 30 g
81 mg
75. Granola tradicional
1/2 xícara, 40 g
78 mg
76. Achocolatado com malte em pó
3 col. de sopa, 30 g
75 mg
77. Batata chips ao forno
1 e 1/2 xícara, 25 g
68 mg
78. Água de coco
1 unidade, 330 ml
66 mg
79. Pó de cappuccino
2 col. de sopa, 20 g
64 mg
80. Queijo de minas
1 fatia, 30 g
63 mg
81. Margarina
1 col. de sopa, 10 g
60 mg
82. Bolacha wafer de chocolate
4 unidades, 30 g
53 mg
83. Pão de mel
2 unidades, 30 g
51 mg
84. Achocolatado em pó
3 col. de sopa, 30 g
42 mg
85. Paçoca
1 unidade, 22 g
41 mg
86. Sorvete de flocos
1 bola, 60 g
37 mg
87. Bolacha wafer de morango
4 unidades, 30 g
36 mg
88. Castanha de caju
1 colher de sopa, 15 g
36 mg
89. Suco em pó
1 saquinho, 30 g
34 mg
90. Refrigerante tipo cola zero
1 copo, 200 ml
28 mg
91. Chocolate branco
3 e 1/2 quadradinhos, 25 g
26 mg
92. Espaguete
1 prato, 80 g
20 mg
93. Barra de cereais com chocolate
1 unidade, 22 g
19 mg
94. Refrigerante de limão
1 copo, 200 ml
15 mg
95. Suco de soja de frutas
1 copo, 200 ml
13 mg
96. Arroz integral
1/4 de xícara, 50 g
12 mg
97. Chocolate ao leite
3 e 1/2 quadradinhos, 25 g
11 mg
98. Refrigerante tipo cola
1 copo, 200 ml
10 mg
99. Néctar de uva
1 copo, 200 ml
4,8 mg
100. Água mineral
1 garrafa, 500 ml
0,55 mg
 
O sódio é um elemento químico encontrado no sal de cozinha (cloreto de sódio) e em grande parte dos alimentos. Uma parcela desse sódio está presente naturalmente nos alimentos, porém a maior parte dele é adicionada, por consumidores, produtores e manipuladores, durante o consumo, fabricação e preparo dos alimentos, na forma de sal ou outros aditivos que contém sódio.

As funções do sódio nos alimentos, além de conferir sabor ao alimento ou preparação, também incluem a garantia da segurança sanitária e funções tecnológicas como textura e estrutura dos produtos, por exemplo.

Uma das maneiras mais práticas de se diminuir o consumo de sal é comparar a quantidade de sódio nos alimentos, observando as informações nutricionais no verso das embalagens. Opte sempre por escolher aquele que possui menos sódio/ sal.

O sódio é um nutriente essencial para nosso organismo: contribui para a regulação osmótica dos fluidos e atua na condução de estímulos nervosos e na contração muscular. Entretanto, seu consumo excessivo está associado ao desenvolvimento da hipertensão arterial, doenças cardiovasculares e renais e outras doenças, que estão entre as primeiras causas de internações e óbitos no Brasil e no mundo.

A Organização Mundial da Saúde recomenda um consumo máximo de 2000mg (2g) de sódio por pessoa ao dia, o que equivale a 5g de sal (lembrando que 40% do sal é composto de sódio), mas os brasileiros atualmente consomem mais do que o dobro desta quantidade. Então, é preciso reduzir drasticamente seu consumo para diminuir os adoecimentos e mortes na população e, mais que isso, melhorar a saúde dos brasileiros.
Portanto, é imprescindível diminuir o consumo de sódio na alimentação.
É importantíssimo ler os rótulos dos alimentos, principalmente os lights, que as vezes nem vale a pena por ter mais sódio, numa quantidade significativa, que o convencional. 
Sódio? Estamos de olho!

É isso! Espero que tenham gostado. Grande beijo... Até a próxima! o/

segunda-feira, 31 de março de 2014

Sabendo um pouco mais sobre o espinafre

Hello dears!

Hoje vamos saber sobre o espinafre, seus benefícios e porque devemos saber como combinar com outros alimentos.

Existem dois tipos dessa erva rasteira: o asiático e o da Nova Zelândia. O primeiro pertence à famíliaChenopodiaceae - mesma da beterraba e da acelga - e é muito consumido na Europa e nos EUA. Já o segundo é da família Aizoaceae, tem folhas triangulares e pode ser facilmente encontrado no Brasil devido à sua adaptabilidade ao clima tropical. Além dessas duas espécies, existem outras duas que, segundo alguns registros históricos, eram cultivados na África. Trazida pelos colonizadores portugueses, essa hortaliça contém muita água e por isso reduz muito depois de ir para a panela. Normalmente 1 Kg de espinafre refogado serve em média quatro pessoas. Seu plantio no país vai de março a julho, mas nas regiões onde o calor é mais ameno, é possível cultivá-lo durante o ano todo.

Propriedades Nutricionais

Em cada 100 g de espinafre é possível encontrar 91,4 g de água, 2,7 mg de ferro, 2,2 mg de fibra e 99 mg de cálcio. Além disso, é pouco calórico, contendo apenas 23 Kcal. Ainda de acordo com o Dr. Slywitch, para aproveitar melhor o ferro que o espinafre oferece, o ideal é consumi-lo junto com vitamina C e evitar certos alimentos. "Não devemos utilizá-lo com alimentos ricos em cálcio, pois ele pode atrapalhar a absorção do mineral". Apesar das propriedades, o médico lembra que o ácido oxalato, presente no espinafre e responsável pela manutenção dos níveis de cálcio dentro da folha, pode se ligar ao cálcio consumido durante a alimentação e dificultar a absorção do mineral pelo organismo. "O espinafre é uma das verduras mais ricas nesse ácido. Outra precaução com relação a esse ácido é com relação a cálculos renais, que ele teoricamente poderia aumentar a formação, mas isso não é consenso científico." A hortaliça pode ser consumida crua ou cozida. Para evitar a perda de suas propriedades nutricionais e de seu sabor durante o cozimento, o ideal é prepará-la apenas no vapor.

Propriedades Medicinais

Autor de A Cura e a Saúde Pelos Alimentos, Dr. Ernest Scnheider sugere que entre todas as hortaliças, o espinafre é a melhor por sua quantidade de proteínas, minerais e vitaminas." (...) os árabes (...) sabiam que o espinafre é bom para o fígado." Além de ótimo laxante e um excelente oxidante, é indicado para pessoas anêmicas ou desnutridas devido ao seu teor de ferro, porém com ressalvas. Segundo o médico nutrólogo Dr. Eric Slywitch, é preciso lembrar que existem diversos tipos de anemia. "Não devemos esquecer que anemia nem sempre é decorrente da falta de ferro. Toda anemia deve ser investigada para saber qual é a sua causa e o tratamento deve ser personalizado. O espinafre protege a pele, o aparelho digestivo e o sistema nervoso, mas por ser rico em um ácido conhecido como oxalato, não deve ser consumido em grandes quantidades. Esse ácido e suas folhas verde-escuras indicam a presença de cálcio. "Para os veganos isso é fundamental, pois dependendo da dieta, acabam sendo a principal fonte de cálcio", afirma o Dr. Slywitch. Apesar da excelente fonte de cálcio, o médico alerta que o alimento não é indicado no tratamento da osteoporose.


O porquê, de combinar com alimentos corretos:

O consumo do espinafre aumenta a cada dia que passa. O famoso marinheiro Popeye, faz propaganda do alimento, dando a entender que quem come espinafre está sempre forte e pronto para superar qualquer obstáculo. O que poucos sabem, é que no mesmo país de origem do desenho (Estados Unidos), nos anos 50, houve a prática de adicionar espinafre no leite de crianças recém-nascidas (batia-se no liquidificador), com o objetivo de enriquecer o alimento com ferro (o leite é uma fonte muito pobre neste mineral). Naquela época, algumas crianças vieram a óbito, devido ao excesso de substâncias tóxicas e antinutricionais ingeridas diariamente por conta deste hábito.
A doença ficou conhecida como doença do branco do olho azul, pois o branco dos olhos ficava dessa cor. Hoje sabemos que o consumo desta hortaliça não deve ser excessivo e também que o ferro presente na planta está na forma não heme, difícil de ser absorvido, diferente daquele presente nas carnes vermelhas (ferro heme).

O espinafre é um dos alimentos vegetais que mais contém cálcio e ferro. Entretanto, esses dois minerais são pouquíssimo aproveitados pelo nosso corpo, já que o alto teor de ácido oxálico no vegetal inibe a absorção e a boa utilização desses minerais pelo nosso organismo. Os estudos mostram também que o ácido oxálico do espinafre pode interferir com a absorção do cálcio presente em leites e seus derivados.
Esse fato sugere que o espinafre em uma refeição pode reduzir a biodisponibilidade de cálcio de outras fontes que são consumidas ao mesmo tempo. Por isso, se no seu almoço você comeu uma torta de queijo com espinafre, tenha certeza que grande parte do cálcio do queijo não foi utilizada pelo seu organismo.

Fonte: http://www2.uol.com.br/vyaestelar/espinafre.htm

Minha opinião:
Espinafre é uma hortaliça rica em nutrientes, mas não deve ser ingerida diariamente, pelo fato de reduzir a absorção de cálcio. Mas nem por isso deverá deixar de consumi-la. 
Basta equilibrar a alimentação.  Eu como espinafre raramente, não é uma hortaliça que sempre está presente na minha alimentação. Porém eu gosto. 
Descobri que a ricota que coloquei junto com ele, não valeu o cálcio que tinha! haha Mas o sabor ficou agradável =) 

Hoje fiz um creme de espinafre, e ficou muito gostoso! 
Acompanha, um filé de frango grelhado, um peixe grelhado, e ainda pode ser o molho de uma massa.


A base é como se fosse fazer um creme branco simples, mas ao invés de colocar os outros ingredientes, coloca-se o espinafre que foi cozido na água, e batido no liquidificador com um pouco da água do cozimento. 

Vai então:
Cebola, cebolinha, margarina, sal, pimenta do reino, uma colher de sobremesa de amido de milho, 100ml de leite. 


É isso queridas!
Espero que tenham gostado.
Beijos e até a próxima o/ 

sábado, 29 de março de 2014

Vamos falar sobre o Grão de bico?

Hello dears!
Como estão?

Hoje vim falar um pouco sobre o grão de bico, uma leguminosa, que nós aqui no Brasil, pouco usamos.

Vamos conhecer?



O grão-de-bico (Cicer arietinum L.) é uma leguminosa fonte de proteínas, carboidratos, minerais, vitaminas e fibras, além de conter diversos compostos bioativos. Ela se destaca por ter melhor digestibilidade do que outras leguminosas, como o feijão, ervilha, soja e lentilha, além de apresentar baixo teor de fatores antinutricionais e melhor disponibilidade de ferro. Seu percentual de digestibilidade varia de 64 a 79%, dependendo da origem do grão-de-bico.

Estudos têm demonstrado que o consumo de grão-de-bico está relacionado com benefícios fisiológicos que podem reduzir o risco de doenças crônicas e beneficiar a saúde dos indivíduos. Esses efeitos benéficos são principalmente atribuídos ao seu conteúdo de fibras, compostos bioativos (principalmente fitoesteróis) e por apresentar baixo índice glicêmico (IG).

Neste sentido, o grão-de-bico pode ser útil para reduzir o risco de doenças cardiovasculares. Isso porque os fitoesteróis, juntamente com outros fatores presentes no grão-de-bico, contribuem para a redução do LDL-c (lipoproteína de baixa densidade) no sangue, por inibição da absorção intestinal de colesterol.
Estudos também demonstram benefícios do consumo de grão-de-bico na redução da obesidade. Em ratos, observou-se melhor controle do peso corporal e na composição do tecido adiposo. Em humanos, o consumo de grão-de-bico esteve associado com redução de massa gorda em indivíduos obesos.

Os pesquisadores sugerem que a melhoria do metabolismo de gordura pode ser útil na correção de distúrbios relacionados com a obesidade. Outro estudo em humanos relatou que a inserção de grão-de-bico na dieta resultou em aumento da saciedade e plenitude. Neste estudo, 42 participantes consumiram uma dieta contendo em média 104g de grão-de-bico por dia, durante 12 semanas.

Leia mais em: http://www.nutritotal.com.br/perguntas/?acao=bu&categoria=1&id=687



O grão de bico, assim como feijão, soja, lentilha, ervilha, é um alimento do grupo das leguminosas. Ele é fonte de proteínas, carboidratos, fibras, minerais como ferro, cálcio, magnésio, fósforo, potássio, vitaminas como do complexo B e betacaroteno. O grão de bico se destaca entre as outras leguminosas, pois a proteína e o ferro são melhores absorvidos pelo nosso corpo.
A gordura está presente em pouca quantidade, mas o grão de bico possui teor nutricional importante de gorduras boas, como ômegas 6 e 9. O carboidrato do grão de bico possui baixo índice glicêmico, que é bom para pessoas com diabetes e mesmo para evitar essa doença.
O grão de bico pode ser útil para reduzir o risco de doenças cardiovasculares. Isso porque os fitoesteróis, juntamente com as fibras do grão de bico, contribuem para a redução do colesterol ruim (LDL) no sangue, por inibição da absorção intestinal de colesterol.

Talvez um dos motivos que fazem essa leguminosa não estar muito popularizada na mesa dos brasileiros seja o custo, que pode chegar a ser cinco vezes maior que o preço do feijão. Apesar disso, a relação decusto e benefício vale a pena e merece uma segunda chance na sua dieta. O grão-de-bico é repleto detriptofano, aminoácido essencial para a produção da serotonina, aquela famosa substância que garante asensação de bem-estar. É também uma rica fonte de ferrocarboidratos proteínas, devendo até mesmo sua casca ser aproveitada, já que é rico em fibras. Seu consumo semanal garante diversos efeitos fisiológicos, como maiores taxas de ovulação e melhoria do padrão de desenvolvimento das crianças.
ferro disponível no grão-de-bico é mais bem aproveitado pelo organismo do que outros grãos similares, como o feijão e a lentilha. Com relação às proteínas, a qualidade delas é muito superior à das demais leguminosas, porque são totalmente digeridas pelo corpo.
Segundo a nutricionista Gabriela Passoni, “o grão-de-bico apresenta uma boa biodisponibilidade, assegurando a oxigenação no cérebro, e a síntese de mielina, que é um isolante elétrico que permite uma condução mais rápida e eficiente dos impulsos nervosos, o que pode melhorar o raciocínio, adisposição física e também o humor”.
Além disso, as fibras dão a sensação de saciedade, fazendo com que a vontade de comer diminua e auxiliando na manutenção do peso. Sua versatilidade permite o preparo de diferentes pratos, frios e quentes, como saladas, sopas, em pastas e patês e até em doces.
Para garantir o melhor aproveitamento dos nutrientes, especialistas sugerem que, antes de fazer qualquer receita, o ideal é deixar o grão-de-bico de molho em água na geladeira, de um dia para o outro. Depois é só cozinhar e utilizar de acordo com sua escolha.
Modo de usar: consumir de 1 ½ colher (de sopa) a 3 por dia.



E hoje meu almoço ele reinou! 
Arroz branco, espinafre com ricota, grão de bico e filé de frango grelhado. 

Realmente é caro, aqui no mercado eu paguei R$ 7,90 em um pacotinho de 500gr. Mas rende bastante. Como aqui em casa só eu como, vale a pena. 

É isso por hoje amores, espero que tenham gostado da dica de hoje. 
Vou tentar me programar para postar no blog, pelo menos uma vez por semana. =)

Beijo grande, até a próxima! o/ 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...